Rio Mojiguaçu – Wikipédia, a enciclopédia livre

O rio Mojiguaçu[1] [2] , cujas grafias arcaicas – Moji-Guaçu e Mogi-Guaçu[3] [4] [5] – costumam ser mantidas, é um rio que nasce no estado brasileiro de Minas Gerais, na cidade de Bom Repouso, na Serra da Mantiqueira.

O rio nasce a 1.650m de altitude no sul de Minas Gerais com o nome de Ribeirão do Corisco , e suas águas percorrem a região central e nordeste do estado de São Paulo, até desaguar a 470m de altitude no Rio Pardo na divisa dos municípios de Pontal, Pitangueiras e Morro Agudo. O Rio Pardo é um afluente do rio Grande, que, ao se juntar com o rio Paranaíba, forma o rio Paraná.

Em idioma Tupi, Mojiguaçu significa grande rio que serpenteia, e não “Grande rio das cobras” como é equivocadamente ensinado. O nome se deve à formação do traçado do rio, com majestosas curvas e meandros.

A bacia hidrográfica do rio Moji Guaçu compreende uma área de 14.463 km² em quarenta municípios, com uma população de um milhão e meio de pessoas, em dois estados (São Paulo e Minas Gerais). O rio atravessa zonas urbanas das cidades de Mogi Guaçu, Porto Ferreira, o Distrito de Cachoeira de Emas em Pirassununga, Taquari Ponte em Leme e zona rural de Santa Rita do Passa Quatro,na sequência passa pelo norte do município de Descalvado, posteriormente a nordeste e norte do município de São Carlos, prosseguindo em direção a Guatapará e Barrinha.

É no Distrito de Cachoeira de Emas em Pirassununga que o rio tem o seu principal ponto turístico. Nesse local, cortado pela SP-201, existem vários restaurantes que tem como pratos especiais os peixes. É um recanto turístico muito visitado, principalmente pelos romeiros que se dirigem à cidade de Tambaú, por causa do padre Donizetti Tavares de Lima. Ainda, em Cachoeira de Emas, dois importantes locais de estudos e pesquisas sobre peixes de água doce tem sede: Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais, ligado ao ICMBio e a Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento, do Pólo Centro Leste da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios.

A importância do rio vem crescendo motivada pelo incremento da economia na região. No entanto, o uso predatório e o descaso de autoridades, empresários e da maioria da população está causando a degradação das águas e dos ecossistemas.

Na cidade de Mogi Guaçu o rio tem 50m de largura, e em trechos na cidade de Pontal, pouco antes de se unir ao rio Pardo, chega a ter 350m de largura (margem a margem). Quando o Mojiguaçu e o rio Pardo se unem, em Bico do Pontal, ficam com duas cores diferentes devido à cor mais clara do Mojiguaçu e a mais escura do rio Pardo, semelhante ao que acontece no encontro dos rios Solimões e Negro.

Em Ouro Fino o rio passa em uma ponte famosa de Ouro Fino a ponte preta local muito bonito e agradável para se pescar em um grande rio como o rio Mojiguaçu.