Academia da Força Aérea fez formatura de 194 cadetes nesta sexta.

Ministro da Defesa, Celso Amorim, e os familiares acompanharam.

Do G1 São Carlos e Araraquara

A Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP), realizou nesta sexta-feira (5) a formatura de 194 cadetes a aspirantes a oficiais.  A cerimônia é marcada pela devolução do espadim, pequena espada recebida no início do curso. O ministro da Defesa, Celso Amorim, e os familiares acompanharam a emoção dos formandos.

Foram quatro anos de estudos, tempo dividido com as atividades militares. Após a entrega do espadim, eles receberam a espada de aspirante a oficial.  Os padrinhos, geralmente o pai e mãe, entregam aos cadetes.

A enfermeira Erly Marques entregou para o filho, Guilherme Marques, e não conteve a emoção. “A família toda lutou junto com ele e ele venceu, por esforço dele. Primeiro lugar Deus e depois pelo esforço dele”, disse.

194 formandos participaram da cerimônia em Pirassununga (Foto: Reginaldo dos Santos / EPTV)
194 formandos participaram da cerimônia em
Pirassununga (Foto: Reginaldo dos Santos / EPTV)

O aspirante a aviador contou que o momento era esperado desde criança. “Quando finalmente acontece, parece que é um sonho. Nem consigo descrever a emoção que estou sentindo hoje”, afirmou.

No grupo, são 27 mulheres, entre elas a aspirante e oficial intendente Ana Carolina Romano, que é de São Carlos. “Agora começar a vida de oficial e poder retribuir  e ser uma excelente oficial para a Força Aérea Brasileira”, afirmou.

Nos primeiros momentos em posse da espada os oficiais fazem um juramento. A formatura marca o começo de uma nova etapa, mas o ano que vem vai ser de muitos estudos, pois todos vão fazer estágios nas áreas escolhidas.  Depois de 28 semanas eles recebem o título de oficiais da FAB.

O aspirante a aviador Rodolfo Novaes Rodolfo já sabe em qual área vai se especializar. “Quero ir para Natal fazer o curso de caça e me especializar para a melhor aviação que tem na Força Aérea”, disse.

Além da graduação no curso de formação de oficiais aviadores, intendentes e de infantaria, os aspirantes também recebem o diploma em administração voltada para a área militar. “São quatro anos longe da família, vivendo coisas que eu nunca vivi. Isso aqui realmente é uma vitória, uma conquista. Não foi fácil para ninguém, muito menos para as mulheres que são aviadoras. É uma vitória muito grande”, disse a aspirante a aviadora Amanda Melo.